domingo, 1 de março de 2009

Anjo

Uma vez
um anjo solitário
impregnou meu paladar de luz.
Esteve em minha língua,
por quase uma vida,
este sabor
picante...

Desde então relembro
o terno toque
da língua do anjo
a encher minh'alma
de luz.

Uma vez
um anjo solitário
arrancou de mim o que fui.
Esteve em minha retina
por quase uma vida
este sabor
sangue...

Anjo é parte do livro Outros Sentidos (07/2008)

15 comentários:

Vera Pinheiro disse...

Barone, que maravilha abrir o domingo e o mês com um poema assim! Quero "Outros sentidos" já!

BAR DO BARDO disse...

Um anjo... sabor picante... ei!

(Boa excecução, cara!).

Flávio Otávio Ferreira disse...

muito bom poema com um fechamento sensacional!

Abraço!
Paz e Poesia!

On The Rocks disse...

muito bom. digno de está no poema dia.

l. rafael nolli disse...

Meu camarada, muito bacana essa imagem do sangue preso na retina, cria uma idéia poderosa, uma imagem forte... Um ótimo poema para iniciarmos o mês! Abraços!

Alice Salles disse...

Um anjo o poeta!

Adriana disse...

Barone, adorei. Lindo e forte. Bj

Renata de Aragão Lopes disse...

Anjos do bem e do mal...

Compulsão Diária disse...

Um poema anjo

Helena disse...

Um Anjo forte, contido e doce. Um anjo que deixa marcas. Belo poema.

beijão,

Helena

fernando cisco zappa disse...

an
oj
rot
to

de venerado
sabor...


bravo!

Benny Franklin disse...

De primoroso saber!
Boa, Barone.

Audemir Leuzinger disse...

perfeito. nada menos.

Felipe da Costa Marques disse...

Intenso!

Adorei, Baronee

Barone disse...

Valeu pessoal.