terça-feira, 20 de janeiro de 2009

No dia que o Diabo olhar para mim.

Mudo
Com tudo que carrego no bolso:
um par de luvas,
um caderno e dois terços.

Um terço é para pedir
o outro, para agradecer.
De joelhos
em cima da capa-dura.

Quando as luvas
Abraçam os dedos
Prorrogo
as marcas das digitais

Pelo menos
Até que as dobradiças façam reverência
As portas se abram
E o tapete se alongue no chão

Quero um jardim
Cheio de plantas
E sombras

Uma carruagem
Cheia de cavalos
E convidados.

Quero servos
Sem cérebros
E dentes

Uma dama de honra
Com a bandeja na extensão do braço
Oferecendo-me

A minha coroa.



Julia Duarte.

23 comentários:

Bárbara disse...

Sempre uma rainhaaaa!

Tomaz disse...

Lindo !

Uma essência macabra atraente e de leitura muito saborosa.

Gus disse...

adoro o q tu escreve. um jeito muito particular e belo.

Guto Leite disse...

Júlia, que beleza de poema! Gostoso no tom e nas imagens.. Grande abraço e arte

Adriana disse...

Vosso pedido é ma ordem?Parabéns pelo poema.

fernando disse...

rsrsrs.
terços para
além das terças
insanas...
rsrsr


adorei o poema!

Felipe da Costa Marques disse...

Parabés pelo total folclore! que nos colore.

"Se Deus aparecer vou lhe mostrar o "de-dus"(M.N)" HEHEHE!

Adorei, princesa...

apesardoceu disse...

que saudade de ti!

everton behenck

Anônimo disse...

musa das musas. inspira...suspira :)

Anônimo disse...

Para deus, um terço para o perdão. Para o diabo, dois terços para pedir e agradecer. Genial! Bjs, Beth.

Anônimo disse...

Para deus, um terço para o perdão. Para o diabo, dois terços para pedir e agradecer. Genial! Bjs, Beth.

Alice Salles disse...

O inferno deve ser de se arrebatar tudo... de se entregar desassossego. O diabo quem disse...

Barone disse...

Hehehehe. Gostei.

TeXucoO disse...

Poxaa adorei o textoo =)))

bjoO

Victor Meira disse...

Muito bacana o poema! Gosto muito. A personagem é ótima, existe motivo e conflito. Acho bem acurada também a construção, que se usa do título pra começar com o conflito, pra só depois apresentar a personagem, concentrando o clímax logo no topo.

Bacanérrimo.

Benny Franklin disse...

Excelente!

Audemir Leuzinger disse...

Adorei. E quando li, estava aqui, escrevendo sobre como inventam o diabo. Bom demais.

Cafundó disse...

Belo poema... A poesia reina absoluta.

Paula disse...

Uma poesia de rainha, cheia de beleza e coragem.
Linda.
Linda.
Linda.

Vera Pinheiro disse...

Amadas e amados, estou com problemas na postagem no Poema Dia, na minha data, hoje. O link não permitiu acesso. Já enviei pedido de socorro ao Barone, junto com minha contribuição a este blog maravilhoso.

Julia, tu és maravilhosa! Parabéns.
Beijos para todos e desculpas pelo atraso involuntário. Coisas da infernet...

Gypsy Comunicare disse...

Bravo, Bravíssimo!

A J Lobone

compulsão diária disse...

Estou longe, ainda. Por isso o atraso do elogio merecido para esse poema de rainha sabida, linda

Flávio Otávio Ferreira disse...

muito bom o poema!!!

"Um terço é para pedir
o outro, para agradecer."

Eu não tenho nem um, nem outro!!!

Abraços poéticos!!!