terça-feira, 23 de dezembro de 2008

antroxifopagia


"Antropofagia", Tarsila Amaral

sol cítrico e pictórrido
caricactus e bananeira
ciclope salta um
seio à dianteira

exacerbrada tudo
o que se diz forma
curvilinhas e espectro abrasacor
acasalado a lado, sem ornato
sui gêmeo o duo se mantém

e o que é de quem
pernas, pés, o próprio tato
se confunde e desafia
em civil estado de amalgamia

7 comentários:

Graça Pires disse...

Gostei do civil estado de amalgamia ...
Um beijo d'Angelo.

Barone disse...

D'angelo, muito bom!

Victor Meira disse...

Oié, poesia é arte plástica. Bacana. Uma releitura sem interpretações, conclusões ou morais. Uma repintura.

Legal.

compulsão diária disse...

antropofágico como pede a semana.

rogerio santos disse...

muito bom !!!
Abraços
Rogerio

Joe_Brazuca disse...

viva 22 !...Esplêndida poesia e homenagem !
abraço

Márcia disse...

Vc sabe como eu gosto desse seu versejar, né? Muito bom.