sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012


imagem: bastidoresdemim.blogspot.com
Nascido em águas mornas,
como nascem peixes dóceis,
sem amparo ou resguardos,
sem desejos ou querências,

mas aconchegados.

2 comentários:

Francisco Coimbra disse...

Nem um título para ajudar a compreensão, fica o ritmo e, sem dúvida, uma intenção: (a) do poema. Parabéns!

lucas repetto disse...

Do âmago!

Um livro de (de)sentimentos em cada palavra.