terça-feira, 2 de novembro de 2010

Dia de Hoje

Não encontrei ninguém. Enrolei a força, espreguicei um almoço noturno e escrevi uma magia profana que partia da superfície ao meio. Senti saudades dela e fiz uma música explosiva, machucada de recheios. Revi os desafetos armengando um café e conversei, mesmo sem encontrar ninguém. Além, não esperei os ratos - que sempre fazem barulho pelos tubos de ventilação - resolverem invadir o meu quarto. Um feriado, nem reclamo da carga. Na soma, de alguma forma, foi vantajoso.

5 comentários:

Adriana Godoy disse...

Victor, gostei demais. Pode acreditar. beijo

Lírica disse...

Or ratinhos já vão chegar. kkkkkk.

Ana F. disse...

no fim do dia tudo volta ao lugar... principalmente em feriados!

Barone disse...

Interessante composição.

Albuq disse...

Belo e interessante! bjs