segunda-feira, 6 de março de 2017

Decorpoema

Pintarei meu ninho de branco
qualquer dia desses

Nas paredes e no teto, em vez de espelhos
poemas

Entre um gole e outro de vinho, num simples percorrer de olhos
Lerei versos em negrito

Uma mesa de sinuca servirá de companhia

Alçarei voo
rumo a desconhecidos continentes

Enquanto encesto a bola sete na caçapa






Um comentário:

Nadine Granad disse...

O poema decorado, (NÃO) sabe de cor quantas nuances pode ter ;-)
Belo!