domingo, 6 de março de 2016

Amanhã, teu olhar

Sempre haverá um jeito, além de Paris
O ar cosmopolita de Marseilles

Um cavaquinho, partido alto, samba de breque
O sorriso de um moleque

Um povo que reaja, embora o Senado
Uma quitanda, que tenha dinheiro trocado, embora os Bancos
E o que eles nos tem explorado

Uma mídia honesta, apesar dos favores
Uma comédia, depois dos horrores

Uma morte, um nascimento

Sempre haverá um jeito, mesmo parecendo não haver outro
Haverá teu olhar