segunda-feira, 6 de abril de 2015

Bambaleante

Arranha minha pele
Revira meu ouvido

Jura que sou
Seu amor bandido

Quando ela me toca
Sou como artista

Ando na corda
Sem rede
De equilibrista

Nenhum comentário: