sábado, 6 de setembro de 2014

Instinto

Vejo todos os pubs do mundo
Um barman competente
Na íris, um flash a cada segundo
Moréias, piranhas, serpentes

Canalhas a granel
Uma noiva
Hordas de cafajestes

No Olimpo do lugar pressinto blues
Uma deusa morena à meia-luz
O melhor antídoto contra a peste


4 comentários:

Ricardo Mainieri disse...

Ótimo poema, me lembrou meus tempos de predador solitário. Inspirou-me até este poema:

JUVENTUDE NOS OLHOS

noites
de brilho & neon

o álcool farto
vapor de cigarros

música hipnótica
desperta memórias
atiça o encontro dos corpos

no bar observo

nas mãos o cálice
oscilante
o olhar predador

alguma esperança

quem sabe o amor

Frases disse...

Adorei o seu poema discrição perfeita.

Nos faz recordar dos nossos impulsos juvenis.

Muito obrigada!

Adriana.

Híndira H disse...

Delícia!

Mille Targino disse...

Que poema maravilhoso !