quinta-feira, 6 de março de 2014

Folguedos

Lúdica
Em prosa e verso
À noite, na própria seiva
Ela folga

Insone, úmida
Até de manhãzinha
Verte em mim

Abre-se a valva em carmim
Rega-me e aos buliçosos dedos
Unge-me a pele a lava

Dá a vida a dádiva
Ao jardim de minha mão


3 comentários:

Diogo Aguiar disse...

Bem legal o texto parabéns!
Quando puder passe nos meus blogs!

Amissus Poems
Projeto Edgar Allan Poe

Grande Abraço!

Anônimo disse...

Maravilhoso!
MAGNA VANUZA ARAÚJO

Carlitos Edd disse...

Muito bacana!
Parabéns pela página!
Bom dia!!!

http://aindanestavida.blogspot.com.br/