sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Simbioses

Há corpos de sereias
Atrás das cortinas e dos palcos
Como há nas fantasias dos marinheiros
Mais que nos desenhos de um mosaico

Há um nome de bem querer
Por debaixo de toda pele
Como uma palavra em brasa
Tem o seu tição que fere

Há lábios de uma mulher
Na nuvem que o oceano beija
Como no final do arco-íris
Descansa o tesouro que se almeja


2 comentários:

Cícero Nogueira disse...

Olá, queridos, gosto muito dos seus poemas.
Compartilho minha leitura da obra GUARDAR de Antonio Cicero: http://www.youtube.com/watch?v=R_RfU3oH5Jk

abraço,

Cícero

Andressa Fernandes disse...

Adorei o seu blog, muito bom! Eu tenho um blog, escrevo textos e poemas também... caso queira conhecer http://naoseiquemsousoseimeunome.blogspot.com.br/