sábado, 24 de agosto de 2013

Poema em construção

1 (mote/motim)

ter o dedão destroçado pela máquina
ou o rabo do mouse arrebentando

ou pior
acender o último cigarro pelo lado errado

1 (mote/motim)

ter a mão destroçada pelo faca
ou o cabo do teclado arrebentando

ou pior
entrar em nóia pastando da bosta da vaca

2 (diga-me com quem andas)

não ter feito – na vida – nada de válido
ou sequer ter tentado

ou pior
ninguém para transviá-lo

2 (o mesmo adágio do anterior)

não ter feito – na vida – nada de errado
ou sequer ter tentado

ou pior
ninguém para alertá-lo

3 (pensando em um soneto de Bocage)

cagar nas calças de tato rir de um otário
ou só conhecer piadas sem graça

ou pior
ser você esse babaca

3 (idem)

Cagar nas calças de tanto rir de um babaca
ou só ter cagado em louças de privada

ou pior
ser você esse babaca

4 (uma citação de Marianne Morre para fechar)

“POESIA
Eu também não gosto lá muito dela: há coisas mais importantes
                         que toda essa charanga.
Lendo-a, todavia, com o mais perfeito desdém, a gente acaba
                         descobrindo
nela, afinal de contas, um lugar para o genuíno”.

4 (uma citação de Marianne Moore/Augusto de Campos para fechar)

“POESIA
Eu também a abomino.
Lendo-a, porém, com total desdém, a gente des-
cobre ali, afinal, um lugar para o genuíno.”



* L. Rafael Nolli

Nenhum comentário: