terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Corujamanhecida

Se a gente é o que sente
Não programei o meu ser

Tem horas que sou caçador, bicho acuado
Igual a você, alma carente

Tem horas que sou versos
Peixe livre ou anzol

Ao amanhecer, sou ave de rapina
Ando à cata de óculos de sol

8 comentários:

Dandara disse...

O interessante da vida, é não ficarmos engessados, ou dentro de uma fôrma; o bom é isso ser o que quiser, ir aonde deve ir, caçar aqui e ser caçado acolá e caminhar sempre em frente... beijos Amei!

barb disse...

Que ☥ corujoca ☥ bela, João!!! bjs bjs!

João Luis Calliari Poesias disse...

Dandara, obrigado pelo comentário. Sim, sempre em frente ou "subamos, bem alto, imensamente alto"; como escreveu Vinícius de Moraes em "Os Acrobatas". Beijo

João Luis Calliari Poesias disse...

Bar...bar gostou dela na janela e eu fiquei (mais) feliz, Barbarela, Obrigado. Beijo

Henrique Pimenta disse...

Adunco, no bom sentido do termo.

Coruja aquilina é sempre de bom augúrio, diremos...

João Luis Calliari Poesias disse...

Bons augúrios, traz você, Henrique!. Obrigado, pronto restabelecimento, eu espero...Abraço!

Francisco Coimbra disse...

Gostei! Abraço

João Luis Calliari Poesias disse...

Francisco, obrigado pela leitura e pelo comentário.Um forte abraço!