terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Aliança

Bonita como uma santa
Faz milagre só de olhar
Já foi virgem muitas vezes
Mil vezes quis se casar

Uma serpente feminina
Que se enrosca no olhar
O seu veneno é uma aliança
Entre a paz, a lança e o mar

Foi pelos olhos
Daquela moça
Que mirei Iemanjá a dançar
Numa cantiga
Que alcançaTodos os homens do mar

8 comentários:

Adriana disse...

que bonito, parece cantiga de rodas.

Barone disse...

Bem vindo Celão.

Victor Meira disse...

Poesia comportada, costuradinha, parecida com letra de cantiga.

A Aliança como veneno é sensacional. O veneno que alcança todos os homens do mar.

Ótimo, Celão.

L. Rafael Nolli disse...

Concordo com o Victor, lembrou a letra de uma música. Acho que cairia como uma luva na voz de um Alceu Valença! Muito bom.

Benny Franklin disse...

Bom! Bem-Vindo, Celão!

compulsão diária disse...

Mulher serpente enroscada no olhar é sereia. Seriam Ulisses todos os homens diante dos en (cantos) das meninas-veneno?
Gostei do comportadinho, do jeito simples de dizer o milagre.

Alice Salles disse...

E é isso que Iemanjá faz começar!

Olhos de Folha Minha disse...

Bem vindo e perfeito poema
Tem peso, sem emsmice
Sentido e sentimento profundo
Parabens