quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

1# Soneto Enamorado

1998...

Expressar sem cessar filosofia

Nunca a contraponto ou desperdiçá-la

Constante instruir destruir Sofia

Não ir com a ilusão quando cobiçá-la


Jamais trair o próprio coração

Recusar porque e para que do amor

Envolver-se sem sair da emoção

Sempre que puder ser um ornador


Deparar com o que é desconhecido

Amar além do outro lado finito

Derrotado e acabado porém rindo


Amor nivelado com amizade

Beleza virtuosa do infinito

Namorado mesmo até a eternidade

...2008

7 comentários:

compulsão diária disse...

Em dez anos houve muita sublimação nessa paixão que virou amor eterno. Ou não

Tomaz disse...

Belo Soneto amigo Cruzmaltino... Sugiro fazer a parte dois em 2018 e assim por diante década a década eheheheeheh
Abraço !

Flávio Otávio Ferreira disse...

até a eternidade!!!

Belo poema!

L. Rafael Nolli disse...

Uma força poderosa o amor! Dez anos, que se estendem ao infinito! Belo soneto.

Adriana disse...

amor eterno, de cada lado? rs. belo!

TeXucoO disse...

Que seja eterno enquanto dure ^^

Cafundó disse...

Uma graça o soeto, rico em forma e conteúdo.