terça-feira, 16 de dezembro de 2008




Entre a distância que nos separa
existem:
montanhas,
estradas,
mares e rios.
Existe o vento,
que sopra saudades tua
deixando o gosto da ausência
que nenhum de nós pediu.
Mas existe também
a força do amor
que nunca,
jamais, nos afastará
ainda que montanhas,
estradas,mares,
ventos e rios
dispostos estejam a nos separar...

Deolinda Vilhena
Brincando de Ser 1990

7 comentários:

L. Rafael Nolli disse...

Quando há amor... nem montanhas ou mares.

rogerio santos disse...

Gosto dos textos que dão o recado sem tantas voltas.
Gostei mesmo desse poema.
Beijo
Rogerio

Felipe da Costa Marques disse...

Que "ser-mão"!
Pazbéns!

valéria tarelho disse...

para os obstáculos: pontes, saltos, braços, fé, sintetizados no amor.

aplausos!

Flávio Otávio Ferreira disse...

ainda que...
o amor prevalecerá!
Belo poema...
Abraços!
Paz e Poesia!

Joe_Brazuca disse...

Nada ha de separar o que se sente...
Muito bom !

Barone disse...

Seja bem vinda Deolinda.